Publicidade

A Rede em Defesa da Humanidade repudia o mecanismo lawfare contra governos populares latino-americanos

  • em



Da Rede em Defesa da Humanidade repudiamos veementemente um novo e traiçoeiro caso de laware na região, dirigido hoje contra a Vice-Presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

 

 

A guerra judicial, mecanismo de estigmatização e perseguição da liderança política do campo popular, busca por meio de sua feroz proscrição, o disciplinamento e submissão de governos populares, emancipatórios e soberanos.

 

 

O novo atentado realizado hoje no marco da chamada “Causa Vialidad” nada mais é do que mais um deplorável capítulo da longa série de golpes, perseguições judiciais, prisões e exílios de líderes populares latino-americanos, perpetrados por meio do sistema judicial. de causas fabricadas, falsas acusações, pressão sobre supostos arrependidos, com a cumplicidade do poder midiático hegemônico. Vítimas de tais iniquidades foram e são muitos países irmãos e seus líderes como Dilma Rousseff, Lula Da Silva, Rafael Correa, Jorge Glas, Evo Morales e Pedro Castillo.

 

 

A pena proposta pelos inapresentáveis ​​promotores a 12 anos de prisão e a desqualificação de Cristina para o exercício de cargos públicos, não fazem mais do que confirmar a intenção de proscrição antidemocrática que devasta e tenta devastar a vontade libertadora de nossa região.

 

 

Constitui uma afronta e uma violação dos direitos de Cristina Fernández, que, ao contrário dos líderes da oposição, se caracterizou por ter razão todas as vezes que foi intimada pelas autoridades judiciais e que não teve permissão para ver as supostas provas. foi aceito seu pedido de auditoria de todas as obras públicas do país.

 

 

A triste exumação da figura da “associação ilícita” alerta-nos para a importância de unirmos a nossa mobilização, repúdio e condenação das acções desenhadas a partir do Norte, com a cumplicidade dos poderes corporativos regionais. Somente a solidariedade de nossas redes e a luta e mobilização de nossos povos poderão deter os abusos que impedem a realização de sociedades justas e confrontam interesses geopolíticos bem conhecidos de nossas nações.

 

 

Por tudo isso, a Rede em Defesa da Humanidade expressa fortemente nossa solidariedade à Vice-Presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner , uma das mulheres mais brilhantes que a Grande Pátria deu à luz, líder indiscutível de seu povo. E mostramos nosso especial apoio à misoginia feroz e ofensiva que caracterizou especificamente esses abusos, que nada mais são do que a expressão da judicialização da política em sua expressão mais cínica.

 

 

Nossa América, 26 de agosto de 2022

 

 

Rede em Defesa da Humanidade

 




SEJA UM AMIGO DO JORNAL BRASIL POPULAR

 

Jornal Brasil Popular apresenta fatos e acontecimentos da conjuntura brasileira a partir de uma visão baseada nos princípios éticos humanitários, defende as conquistas populares, a democracia, a justiça social, a soberania, o Estado nacional desenvolvido, proprietário de suas riquezas e distribuição de renda a sua população. Busca divulgar a notícia verdadeira, que fortalece a consciência nacional em torno de um projeto de nação independente e soberana.  Você pode nos ajudar aqui:

 

• Banco do Brasil
Agência: 2901-7
Conta corrente: 41129-9

• BRB

 

Agência: 105
Conta corrente: 105-031566-6 e pelo

• PIX: 23.147.573.0001-48
Associação do Jornal Brasil Popular – CNPJ 23147573.0001-48

 

E pode seguir, curtir e compartilhar nossas redes aqui:

📷 https://www.instagram.com/jornalbrasilpopular/

🎞️ https://youtube.com/channel/UCc1mRmPhp-4zKKHEZlgrzMg

📱 https://www.facebook.com/jbrasilpopular/

💻 https://www.brasilpopular.com/

📰🇧🇷BRASIL POPULAR, um jornal que abraça grandes causas! Do tamanho do Brasil e do nosso povo!

🔊 💻📱Ajude a propagar as notícias certas => JORNAL BRASIL POPULAR 📰🇧🇷

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *