Publicidade

A impunidade fez de Moro, o maior cabo eleitoral da história ao prender Lula e eleger Bolsonaro!

  • em


Qual juiz teria coragem de vazar uma delação combinada, como em 2018, a de Antonio Palocci, a 6 dias da eleição, caluniando o maior partido do país, o PT, e um ex-presidente, Lula? E essa delação mesmo já tendo sido rejeitada pelo MPF por falta de provas(1).

 

Essa delação, além de dar a liderança do primeiro turno a Bolsonaro, superando Fernando Haddad, tirou milhões de votos do PT, tanto que Dilma, segundo todos os institutos de pesquisas, tinha uma vaga garantida ao Senado por minas Gerais e foi derrotada pelo vazamento do Juiz Sergio Moro (3,4).

 

E a justiça, que não dorme, levou quase 2 anos para invalidar a delação de Palocci (2).

 

Com a certeza da impunidade, Sergio Moro, além do vazamento criminoso, também na véspera da mesma eleição de 2018, ainda prendeu Lula, sem qualquer prova, numa clara intenção de favorecer Bolsonaro. Lula era líder em todas as pesquisas.

 

Nem juiz de futebol teria coragem de receber às claras um prêmio do time que favoreceu. Entretanto Moro, para não deixar nenhuma dúvida da sua lambança, além de ganhar de Bolsonaro o ministério da Justiça, rindo da sociedade, Sergio Moro ainda recebeu de Bolsonaro a promessa de ser indicado ministro do STF (5).

 

E a Lava Jato, chefiada pelo juiz Sergio Moro, ainda virou filme: Polícia Federal – A lei é para todos. Será que a lei vale para todos?

 

Fonte: 1 – https://www.brasil247.com/poder/a-seis-dias-da-eleicao-moro-libera-delacao-de-palocci

2 – https://gauchazh.clicrbs.com.br/politica/noticia/2020/08/stf-invalida-uso-de-delacao-de-palocci-divulgada-por-moro-em-acao-penal-contra-lula-ckdghf1yl000n01es5ryr6zpi.html

3 – https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/dilma-lidera-para-o-senado-em-mg-e-segundo-lugar-esta-empatado-mostra-datafolha.shtml

4 – https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/eleicoes/2018/noticia/2018/10/02/pesquisa-ibope-para-o-senado-em-mg-dilma-29-viana-17-pacheco-15-pinheiro-14.ghtml

5 – https://brasil.elpais.com/brasil/2019/05/12/politica/1557677235_562717.html

 

Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, ex-presidente do Sindipetro-RJ, fundador e ex- diretor do Comando Nacional dos Petroleiros, da FUP e fundador e coordenador da FNP , ex-diretor Sindical e Nacional do Dieese.

 

  • Compartilhe