Publicidade

A 20 dias do fim, governo Bolsonaro leiloa edifício Sedan por R$ 311 milhões

  • em



Governo Bolsonaro dilapida patrimônio público a poucos dias de sair de o governo acabar e põe à venda o edifício Sedan, uma propriedade do Banco do Brasil, localizada no centro da cidade do Rio de Janeiro. O prédio abriga a agência 0001 do banco

 

 

“Imagine a seguinte situação: fim de governo, véspera de Natal, um importante patrimônio público sendo leiloado e a transação tem como consequência o beneficiamento de uma empresa que tem entre os seus fundadores um ministro. É isso o que está acontecendo no Rio de Janeiro”,  denuncia o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro em suas redes digitais. Nas postagens das redes digitais, o sindicato afirma que a “transação é suspeita porque a venda do prédio Sedan do BB, no apagar das luzes do governo Bolsonaro, levanta suspeita de beneficiamento do BTG Pactual, o banco de Paulo Guedes”.

 


Na denúncia, o sindicato mostra que o patrimônio é o prédio da Rua Senador Dantas (Sedan) do Banco do Brasil; a data do leilão é 20 de dezembro; a empresa beneficiada o BTG Pactual, fundado pelo ministro da Economia de Bolsonaro, Paulo Guedes. “Para vender o Sedan, o Banco do Brasil iniciou a transferência dos empregados do BB que trabalhavam no edifício da Senador Dantas em agosto deste ano. Para isso, alugou o edifício Ventura, de propriedade do BTG. O Sindicato dos Bancários Rio levou a suspeita de irregularidade ao deputado federal eleito Reimont (PT/RJ) e ao Coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários (CEBB), João Fukunaga”, escreve.

 

 

Segundo a entidade, a diretora do Sindicato dos Bancários do Município do Rio de Janeiro e membra da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), Rita Mota, avalia que é preciso evitar que essa negociação feita sem transparência e às pressas se concretize a poucos dias da posse do novo governo. “Estamos solicitando a intervenção de parlamentares e do governo de transição para garantir que nenhuma operação como esta, de grande porte, seja feita de maneira açodada e em prejuízo de um banco público como o BB. E há o agravante de que esteja sendo realizada também para favorecer o BTG Pactual, um dos donos do Condomínio Ventura Corporate, onde passaram a funcionar as dependências do Sedan e também as da Asset Management do BB (antiga BBTVM)”, explicou.

 

 

O Edifício Sedan é famoso por abrigar a agência 0001 do Banco do Brasil. Trata-se de um prédio comercial de 45 andares – um dos mais altos do Rio –, construído em 1985, e ocupa o número 105 da Rua Senador Dantas, perto da Câmara de Vereadores, da Biblioteca Nacional e do Theatro Municipal, junto à Cinelândia. São 60 mil metros quadrados de área construída, 16 elevadores e 264 vagas nos andares de garagem. No topo dos seus 146 metros de altura, há um heliponto.

 

 

Uma matéria da revista Veja dá conta de que o prédio foi colocado em leilão no dia 28 de novembro pelo lance mínimo de 311 milhões de reais e, embora o edifício seja no Rio, o leilão será em São Paulo, pelo martelo da Leiloeira Carla Sobreira Umino. As ofertas poderão ser feitas até as 14h do dia 20 de dezembro.

 

 

Informa também que o leilão do Sedan vem na esteira do Programa Reviver Centro, cujo “objetivo” é promover a recuperação urbanística, cultural, social, ambiental e econômica da área central do Rio. O foco do projeto é privatizar o prédio público, entregá-lo à especulação imobiliária com o discurso dos governantes de isso irá atrair novos moradores, aproveitando as construções existentes e terrenos que estão vazios há décadas em uma região da capital fluminense com infraestrutura e patrimônios culturais em abundância.

 

 

No entanto, o prédio precisaria passar por um retrofit para se igualar a outros edificios que foram modernizados na região. As informações são do Diário do Rio, da Veja e do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro.

 

 

  • Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *