Publicidade

Desistência do governo em lançar o Renda Brasil provoca reações dentro da bancada federal do Maranhão no Congresso

  • em


O anúncio feito na terça-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro desistindo de lançar o programa social “Renda Brasil” provocou reações diversas dentro da Bancada Federal do Maranhão no Congresso Nacional.

 

“É lamentável que o Renda Brasil não seja implementado, pois esperávamos com grande expectativa esse programa, que traria vantagens em relação ao Bolsa Família, principalmente, com relação ao aumento no valor do benefício e na sua abrangência”, lamentou o coordenador da bancada maranhense, deputado Marreca Filho (Patriota-MA)

 

“Embora tenha sido uma medida sensata do Governo para que não fuja do teto de gastos e não atinja os aposentados e deficientes, é impossível não lamentar que não seja possível a implementação desse programa, principalmente, no momento em que os brasileiros mais necessitam”, salientou.

 

O deputado federal João Marcelo (MDB-MA) “a desistência do governo em lançar o Programa Renda Brasil que iria substituir o Bolsa Família, se for mesmo verdade, é uma péssima notícia para todos os brasileiros que recebem esse auxilio de renda mínima”, declarou. “Nós sabemos muito bem que o Bolsa Família, da maneira que é implementado e do valor que tem, não é capaz de viciar as pessoas a não procurarem trabalho”, ressaltou.

 

“É uma quantia muito baixa em termos de sustento de uma família, mas contribui muito para diminuir os níveis de pobreza que nosso País enfrenta”, disse. “Não é possível! Seria muito triste vermos esse auxilio assistencial e social acabar no Brasil. Tem ajudado tanto aqueles mais necessitados. É muito importante que o Renda Brasil, esse que veio substituir o Bolsa Família, tenha continuidade para que nós possamos diminuir os índices de vulnerabilidade social e de necessidades básicas entre os brasileiros”, completou.

 

O deputado Gastão Vieira (PROS-MA) foi taxativo. “Desistência esperada! O Presidente não gosta desse tipo de programa, dinheiro direto na conta do cidadão, passou a gostar quando sentiu o retorno eleitoral. Sempre criticou o bolsa família, diminuiu o número de beneficiários, não implantou o décimo terceiro”, frisou.

 

“A ideia de juntar outros programas sociais e transferir os recursos para o Renda Brasil me parecia viável, só que ele desistiu. Ao prorrogar ao auxílio emergencial até dezembro, mesmo com um valor menor, ele inviabilizou a possibilidade de criar o Renda Brasil. Nenhuma surpresa. Ele não tem dinheiro, só se tirar dos mais ricos, dos que faturam mais”, acentuou.

 

O deputado Zé Carlos (PT-MA) afirmou que “Bolsonaro, para fazer com que o povo esqueça das benfeitorias dos Governo PT, quis lançar um programa substituto do Programa Bolsa Família, mas como viu que a proposta do Renda Brasil seria inferior ao do Bolsa Família, e que seria mais uma pauta negativa na história de seu Governo, resolveu desistir desse programa-cópia. O povo já reprovou a diminuição dos 50% do auxílio emergencial”, disse.

 

“Caso Bolsonaro lançasse um programa inferior para substituir o Programa Bolsa Família, seu Governo teria ainda mais reprovação pelo povo brasileiro. Creio que o mais razoável é o governo procurar viabilizar a proposta do PT, no sentido de aumentar o número de pessoas atendidas pelo Bolsa Família e de alterar as linhas de extrema pobreza e de pobreza. A linha da extrema pobreza, que hoje compreende aqueles com renda total mensal de R$ 89 por pessoa, passaria a compreender aqueles com renda total individual de R$ 178. A linha de pobreza, por outro lado, não mais seria de R$ 300 por pessoa e sim de R$ 600”, acentuou.

 

Para o deputado Gil Cutrim (PDT-MA), “a desistência do Governo em lançar o Renda Brasil foi a atitude correta para o País, principalmente pela possibilidade do congelamento de aposentadorias e corte de benefícios sociais de idosos e deficientes pobres, como critério para o financiamento do programa”, afirmou. E enfatizou: “Sabemos da dura realidade da maioria dos aposentados e dos mais vulneráveis em se manter. Além disso, estamos vivendo em um momento atípico em nosso País e tratar desse tema seria desumano”.

 

Para o senador Weverton Rocha (PDT), “a incapacidade de o presidente lançar o Renda Brasil mostra o quanto esse governo está distante de ter um olhar para os mais pobres. A equipe econômica só consegue pensar em cortes de recursos que atentem os pobres, enquanto os valores para atender o mercado financeiro são intocáveis. Uma pena, perdeu a oportunidade de fazer algo pelo Brasil’.

  • Compartilhe