A ação convida a população a deslocar-se à Praça Luís de Camões, em Lisboa, entre 10h e 16h, deste sábado (24), para «produzir e expor a sua mensagem numa plataforma, com o objetivo de denunciar a situação política, social e pandêmica brasileira, bem como homenagear os brasileiros que perderam a vida devido às ações criminosas do governo de Bolsonaro».

 

 

São também solicitados contributos na forma de «poesias, frases, palavras de ordem ou qualquer manifestação gráfica, que será impressa e fará parte da instalação artística, bem como publicada nas redes sociais», no dia 24 de Julho, e que podem ser encaminhadas para o Colectivo Andorinha até ao dia de hoje.

 

 

O agravamento da pandemia e das restrições na área metropolitana de Lisboa, levou a organização a decidir não organizar os já «costumeiros atos públicos que resultem em aglomeração de pessoas». Pretendendo desta forma, com mais segurança, prestar solidariedades com as manifestações que vão ocorrer este sábado, por todo o Brasil.

 

 

As manifestações contra o governo de Jair Bolsonaro têm-se vindo a suceder nos últimos meses, com milhares de iniciativas em vários pontos do Brasil e do mundo. As manifestações marcadas para amanhã surgem num momento em que o presidente vem perdendo cada vez mais apoiantes: O partido liberal NOVO decidiu, este mês, apoiar o pedido de impeachment de Bolsonaro ao passo que o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos, anunciou ontem que em nenhuma circunstância apoiaria uma recandidatura do actual presidente.

 

 

Do site Abril Abril